segunda-feira, 30 de março de 2015

Mulheres Em Ação

http://www.marcospereira.com/novo/acompanhe/mensagem-da-semana-do-discurso-para-a-pratica/

Republicanas e republicanos:
O fórum realizado pelo PRB Mulher no último sábado, em Campinas (SP), é mais uma prova de que investimos recursos e energia na militância feminina. Mais de 300 mulheres reunidas de todos os cantos de São Paulo – e de outros estados – puderam debater diversos temas.
Poucos partidos investem tanto na mulher como o PRB. As deputadas federais Rosangela Gomes (RJ) e Tia Eron (BA) são provas dessa postura republicana. Avançamos um bom trecho do caminho, mas podemos muito mais. E é sobre isso que quero falar especialmente com as mulheres.
Desde que cheguei ao comando do PRB, em 2011, disse que a mulher não configuraria apenas uma cota a ser cumprida por conta da lei. Deveria ser uma necessidade. Afirmei ainda que a presença feminina não se limitaria a uma exceção, mas se tornaria regra.
Assim temos agido desde então. Investindo recursos, garantindo exposição na televisão, preparando e incentivando a participação da mulher na vida pública por meio do PRB. Pois bem. Chegou a hora de cobrar resultados. E vou cobrar.
As coordenadoras nacional, estaduais e municipais devem apresentar nomes – bons nomes – para a disputa das eleições de 2016. Queremos e vamos triplicar o número de vereadores e prefeitos em todo o Brasil. E o número de candidatas mulheres deve ultrapassar a cota de 30%.
A responsabilidade se estende aos presidentes estaduais e municipais do PRB, que acompanham o trabalho da militância feminina. É questão de honra convencer as mulheres da importância de sua participação na vida política do Brasil.
Tenho percorrido o país levando a mensagem da boa política promovida pelo PRB, mas vocês precisam fazer sua parte. Isto é, precisa trazer pessoas de bem para concorrer às eleições. É hora de provar que o que estamos fazendo não é um simples discurso. É a prática.
Boa semana a todos.
Marcos Pereira – advogado e presidente nacional do PRB
Fonte:http://www.marcospereira.com/

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Até mesmo Satanás precisa da ajuda de demônios para destruir a vida de alguém, pois ele não é Onipresente, portanto, não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Desse modo, ele(o diabo), delega funções aos seus anjos caídos ( milhões de legiões) para agirem de modo a confundir os seres humanos, que  pensam estarem em todo o lugar.
A Biblia nos afirma que o diabo nos rodeia 24 horas por dia rugindo para nos devorar.
Quantas vezes batemos na porta de uma pessoa, insistimos com ela para nos acompanhar até a Igreja, sem contar nas inúmeras vezes que convidados e a pessoa até concorda em buscarmos em sua casa pela manhã, no domingo...
Mas lá estamos como prometemos e a pessoa sequer atende, não abre a porta. Finge não estar em casa.
Mais um convite foi desperdiçado. Engana-se a pessoa que pensa que ela recusou um convite meu, do meu amigo. Ela simplesmente recusou um convite do Senhor Jesus. Nós fomos apenas um instrumento, um servo que ouviu e atendeu a voz do seu Senhor.
Nossa alma geme dentro de nós, evangelistas, obreiros, jovens que lutam por uma alma...
Mas haverão dias que nossa presença será desejada.
Haverão dias, que nos procurarão nos bairros, nas ruas, nas esquinas onde costumávamos distribuir jornais, revistas, uma rosa ungida, ou mesmo uma fita para colocar em seu punho marcando ali um compromisso de estar conosco na manhã de domingo.
O diabo nos ronda 24 horas do dia sem se cansar.
A Igreja do Senhor Jesus está de portas abertas te esperando das 6h às 23 horas todos os dias da semana.
O Senhor Jesus não desistiu de nenhum de nós.
Ele não desistiu de você.
Por favor não recuse a ajuda de alguém que  diz que a depressão tem saída.
Aceite a ajuda de alguém que quer te livrar das amarras do mal.
Aceite o convite de alguém para estar domingo na Igreja e sair de lá liberta dessa solidão, amarração do inferno.
Venha.
Deixe eu te ajudar pelo Nome do Senhor Jesus Cristo.
O único que pode te salvar,te curar, te libertar.






quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Sou um ex-Muçulmano

Qeita Sumaila tinha um grave problema familiar e, a convite de uma obreira, acabou por ir a uma reunião da Igreja Universal, só que havia um grande problema: ele era muçulmano...

Desde que viera ao mundo, em Dezembro de 1977, na Guiné, país da África Ocidental, Qeita apenas conhecia uma única verdade: nascera no seio de uma família muçulmana e nada mudaria essa realidade. Todos os dias, desde tenra idade, rezava cinco vezes a Allah, lia o Alcorão, ia à mesquita e todos os anos cumpria os 40 dias de jejum que constituíam o Ramadã.
“Eu achava que estava seguindo o Deus Vivo e que estava fazendo o que era certo”, desabafa. Mas, tudo na sua vida revolvia em torno de uma única palavra: FAMÍLIA. Era esta que determinava o seu passado, o seu presente e o seu futuro. Era esta que tanto tomava conta de Qeita, como também determinava que todos os seus passos não se desviassem do caminho que já havia sido para traçado para ele. E foi por esta mesma família que, aos 26 anos de idade, numa terça-feira, Qeita acabou entrando na Igreja Universal. Já não suportava os conflitos familiares, mas mal sabia que esta seria a grande ironia do que ainda estava por vir.
6 meses de um anonimato “confortável”


Com familiares vivendo em Portugal e na França, Qeita sabia que nada punha em causa a união familiar, nem mesmo a distância. Mas, por seis meses, mais feliz do que alguma vez fora, Qeita frequentava a Igreja Universal onde recebia ensinamentos que em quase tudo contrariavam o que sempre havia aprendido. O que era algo natural dentro da religião que poucos meses antes professara – a poligamia – aprendeu que contrariava as leis de Deus, que ensinavam que um homem deve ser marido de uma só mulher. Ao mesmo tempo em que foi aprendendo a deixar de lado as tradições que seguia como muçulmano, também foi se entregando e moldando ao caráter do Verdadeiro e Único Deus.
Traidor de Maomé

O jovem de 26 anos sempre soube o “poder” inerente a sua família, mas cedo viria a conhecer os dissabores e as consequências que advinham de contrariá-la. Qeita abraçou a nova realidade que acabara de conhecer na Igreja Universal, passando a evangelizar nas ruas e tornando-se obreiro. E foi numa dessas suas incursões, que foi visto e “delatado” aos seus familiares. Foi aí que Qeita soube o que era ser perseguido. “Chamaram-me de traidor de Maomé, entre outros insultos. Àquela altura, o meu pai tinha três mulheres e, segundo a tradição muçulmana, também eu viria a ter, e se um irmão meu viesse a morrer, eu teria que assumir tanto as suas mulheres como os seus filhos. Ou seja, se eu já tivesse 2 mulheres e o meu irmão duas, eu ficaria com 4”, recorda.
O conselho familiar

Segundo a lei muçulmana, ao contrariar os preceitos religiosos da sua família, Qeita corria o risco de ser renegado pela própria família. E foi para decidir o seu futuro que esta se reuniu; 30 pessoas e ele no centro. Foi-lhe dada uma escolha e ele escolheu a vida que tanto procurara e que estava vivendo. A conseqüência não se fez esperar. Decidiram fazer o seu funeral. Foi aberta uma vala no cemitério local e o seu nome foi enterrado. Qeita estava “morto”, mas, ainda assim, não recuou, mesmo tendo sido aliciado com tudo o que mais desejasse. Então, uma nova decisão foi tomada: seria enviado para a Europa, onde tinha familiares, tudo para o afastarem da Igreja.
Portugal: o fim e o início

Quando desembarcou na Portela, um grupo dos seus familiares, também muçulmanos, residentes em Portugal, o aguardava, e a primeira e única palavra que lhe disseram foi: “Traidor!”. Foi levado para uma casa na Póvoa de Santo Adrião e “trancado a sete chaves”. Sem qualquer contato com o exterior, um dia, a porta foi esquecida destrancada. Foi ao sair que descobriu que a casa onde estava sendo mantido cativo ficava ao lado de uma Igreja Universal. Começou a frequentá-la, o que deu motivo à realização de um novo conselho.
A única escolha possível

“Orava noite e dia para que Deus resolvesse a minha situação, pois a perseguição voltou com toda a sua força”, revela. Foi aliciado com todos os bens materiais, mas nada demovia Qeita da sua escolha. Para a sua família era um desobediente que não se emendava. Para ele, tratava-se da sua felicidade, da única escolha possível que poderia fazer: Cristo.
Renegado e expulso do seio da sua própria família por ter escolhido seguir ao Senhor Jesus, Qeita é hoje um homem de Deus, pastor da Igreja Universal. Não nega que teve dúvidas, que a sua decisão não teve avanços e recuos, fruto da pressão familiar, mas tem a certeza de que fez a escolha da sua vida. A sua família? Ora todos os dias por ela, para que ela seja acordada para a realidade de que o Deus Vivo não está em tradições ou religiões, mas sim no coração de quem O busca, em Espírito e em Verdade!
Redação: iurd.pt
Extraído do Blog do Bispo Edir Macedo
http://bispomacedo.com.br/2011/02/09/sou-um-ex-mucumano/

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Mulher Virtuosa versus Mulher Comum


Quando uma mulher virtuosa erra, diz:
-‘Enganei-me’ - e aprende a lição.
Quando uma mulher comum erra, diz:
-A culpa não foi minha - e responsabiliza a terceiros.”
“Uma mulher virtuosa sabe que a adversidade é o melhor dos mestres.
Uma mulher comum sente-se vítima perante uma adversidade.”
“Uma mulher virtuosa sabe que o resultado das coisas depende de sacrifício”.
Uma mulher comum acha-se incapaz de fazer mais.”
“Uma mulher virtuosa trabalha muito e arranja sempre tempo para tudo.
Uma mulher comum está sempre ‘muito ocupada’ e não pode fazer mais nada.”
“Uma mulher virtuosa enfrenta os desafios um a um”.
Uma mulher comum contorna os desafios e nem se atreve a enfrentá-los”
“Uma mulher virtuosa compromete-se, dá a sua palavra e cumpre.”
Uma mulher comum faz promessas, não se esforça e quando falha só sabe justificar-se.
“Uma mulher virtuosa diz”:
- Preciso a cada dia ser mais virtuosa e buscar mais a Deus.
Uma mulher comum diz:
-‘Não sou tão má assim; há muitas piores que eu’
“Uma mulher virtuosa ouve, compreende e responde”.
Uma mulher comum não espera que chegue a sua vez de falar
“Uma mulher virtuosa respeita as que sabem mais e procura aprender algo com elas”.
Uma mulher comum resiste a todas que sabem mais e fica procurando defeitos nelas.
“Uma mulher virtuosa sente-se responsável por algo e dá o seu melhor”.
A mulher comum não se compromete nunca e diz: “Faço o que der”
“Uma mulher virtuosa diz: ‘Deve haver uma melhor forma de fazer isso...”
Uma mulher comum diz: ‘Sempre fizemos assim. Não há outra maneira “.
“Uma mulher virtuosa procura sempre ver o lado bom das demais pessoas”.
Uma mulher comum evidencia o lado negativo.
“Uma mulher virtuosa edifica eu lar, pois as atitudes dela são baseadas nos pensamentos de Deus”.
Uma mulher comum com as próprias mãos destrói seu lar, através de atitudes baseadas nos sentimentos de ira ou falta de paciência.
“Uma mulher virtuosa sabe que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”.
Uma mulher comum vê injustiças e desigualdades quando é “afetada”.
“Uma mulher virtuosa é PARTE DA SOLUÇÃO”.
Uma mulher comum é PARTE DO PROBLEMA.
“Uma MULHER VIRTUOSA como você, lê isso, FICA FELIZ e procura melhorar”.
Uma MULHER COMUM como as outras, lê isso, FICA REVOLTADA e acha que perdeu tempo lendo.

Texto extraído do Blog Cristiane Cardoso

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Serva do Senhor

Quantas vezes olhamos ao nosso redor e percebemos o quanto nos falta tempo!
Falta-nos tempo para cuidar da casa, da roupa, das gavetas, de como facilitar o cardápio da semana, das unhas, dos cabelos, enfim...
Parece que para algumas pessoas 24 horas não bastam para organizar suas vidas.
Mas como entender isso?
Toda a humanidade tem em comum 24 horas por dia para administrarem suas vidas. Mas porque algumas conseguem fazer tudo, e outras não conseguem fazer nada?
Simplesmente falta disciplina.
Sem disciplina é impossível servir a Deus!
Disciplina deriva da palavra "discípulo", ou seja, aquele que segue.
Já sofri muito por deixar coisas importantes por fazer, e perder tempo com coisas que não me serviram para nada.
Logo após ter sido levantada como obreira, descobri o segredo do crescimento da minha igreja. Ela vive uma disciplina diária. Isso consequentemente leva ao sucesso, pois todas as atividades da igreja estão associadas à uma disciplina divina. Tudo tem começo, meio e fim.
Tudo tem hora! Faça sol ou chova, ou trovoadas e raios, a igreja abre na hora certa. Pode até ter apenas uma alma, o pastor lá está e a reunião tem seu início...

Portanto, descobri o que faltava em minha vida quando passei a servir à Deus em Sua obra.
A palavra de ordem do dia é D I S C I P L I N A.
Era isso que faltava em minha vida.

sábado, 12 de setembro de 2009

Ausência Necessária...me fiz de surda para a dúvida


As lutas do dia a dia em muito me absorveram nos últimos meses. Apesar de me conectar diariamente para verificar os emails do Buffet, fazer minha leitura diária dos meus blogs favoritos ( ver lista de blogs ), me faltava tempo para postar as novidades e bençãos alcançadas, mesmo que em conta gostas! Mas em breve estarei postando aqui tudo de bom que aconteceu, está acontecendo e acontecerá com certeza em minha vida e na vida daqueles que me cercam e já estão trilhando comigo os passos de Jesus.
Foram lutas travadas com o diabo cara a cara, exames, hospitais, exames, olhares duvidosos dos familiares,exames, oração, fé, sacrifícios, exames, médicos, desafios, jejum, oração, exames e...vitórias, vitórias, e muitas vitórias.
Tambem houveram fracassos, mas eles foram tão insignificantes diante das vitórias que nem vou comentar.
Eu tive uma crise de surdez. Não ouvi palavras de dúvidas. Mas quando se falava de fé, de alcançar a vitória, meus ouvidos estavam limpos, conseguia ouvir perfeitamente.
Meu hit do momento é O Mar Vermelho-Sérgio Lopes
Um grande beijo aos amigos que me visitam e sequer deixam recadinhos para mim. Eu imagino que estejam tão apressados quanto eu. Mas prometo reverter essa situação e me dedicat mais aos meus Blogs.
Na fé.